Mas por que Ronaldo parou em 602 jogos, marca igualada por Cássio no Corinthians


Reportagem sobre a saída de Ronaldo do Corinthians em 1998 — Foto: Reprodução/Acervo da Folha de S.Paulo
Reportagem sobre a saída de Ronaldo do Corinthians em 1998 — Foto: Reprodução/Acervo da Folha de S.Paulo


O goleiro Cássio se igualou a Ronaldo Giovanelli na última quarta-feira, na vitória por 3 a 1 sobre o Coritiba, na Neo Química Arena, como terceiro jogador com mais partidas pelo Timão. Agora, ambos somam 602 jogos pelo clube. O camisa 12 deve passar a marca domingo, contra o Atlético-MG.

Cássio estreou pelo Corinthians em 2012 e, ao longo de 11 temporadas, conquistou nove títulos. Aos 35 anos, ele diz pensar em jogar até os 40 e não se vê atuando por outra equipe no Brasil.

Ronaldo, cria do terrão do Corinthians, também sonhava ter se aposentado no Timão, mas não conseguiu. Titular entre 1988 e 1998, ele entrou em campo pela última vez pelo Corinthians aos 30 anos, no dia 29 de janeiro daquele ano, em derrota por 1 a 0 para o Vasco, no Pacaembu.

Segundo relatos do ex-goleiro, sua saída do Parque São Jorge foi uma decisão do técnico Vanderlei Luxemburgo, que havia assumido a equipe.

Quando o contrato acabou, Ronaldo se viu preso ao Timão (que era dono de seu "passe", algo que não existe mais no futebol) e ficou só treinando por 42 dias. Por falta de acordo salarial e por se sentir desprestigiado por Luxemburgo, Ronaldo conseguiu liberação e foi jogar pelo Fluminense.

Ronaldo Giovanelli e Cássio em homenagem no Corinthians — Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians
Ronaldo Giovanelli e Cássio em homenagem no Corinthians — Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Na época, a Federação Paulista de Futebol fixou o passe em US$ 1,3 milhão, valor pago pelo clube carioca. Foram 16 anos de Corinthians, sendo nove deles como titular absoluto da equipe alvinegra.

Ronaldo se tornou titular nas finais do Paulistão de 1988, ao substituir o goleiro Carlos, um jogador de seleção brasileira, sendo campeão. Venceu os Paulistas de 1995 e 1997, o Brasileirão de 1990 e a Copa do Brasil de 1995.

– A pior coisa que um jogador pode sentir é que está atrapalhando. E era isso o que eu vinha sentindo no Corinthians. Então, peguei minhas coisas e saí – disse Ronaldo à imprensa em 1998.

Segundo reportagens da época, o goleiro recebia US$ 55 mil mensais no Corinthians e pedia US$ 5 mil a mais para ficar. Sem acordo, fechou por um valor parecido no clube das Laranjeiras, onde assinou por 14 meses.

O Corinthians passou a ter Nei em seu gol, goleiro que foi campeão brasileiro em 1998 como titular e que chegou a 108 partidas pelo clube, deixando a meta durante a Taça Libertadores de 1999.

Compartilhar: